quinta-feira, novembro 16, 2006

Minha colega de trabalho (americana) está indo para o Brasil pela primeira vez na vida hoje à noite. Vai passar 10 dias no Rio de Janeiro, na casa de uma amiga (também americana). Viagenzinha totalmente VIP. O marido da amiga trabalha por lá, com moradia paga pela empresa, carro com motorista a disposição, etc..
Estou aqui mortinha de inveja. Queria eu estar indo hoje pegar uma avião para 2 semanas de férias no Brasil. Eita saudade!
É claro que dei um monte de dicas pra ela, o que levar, o que não levar, etc.

Ela me perguntou o que eu queria de lá, eu falei nada. Não que eu não queira nada, não precise de nada. Mas é que eu realmente não suporto incomodar as pessoas com encomendas de viagem. Sei lá, morando aqui a 11 anos tem me deixado com trauma, talvez. Tem gente que não tem o menor semancol e pede cada coisa pra gente! Nos deixando numa situação totalmente desconfortavel.
Achei o cúmulo que ela me falou que a menina que trabalha na casa dela, que por uma enorme coincidência é brasileira, já foi logo incomendando calcinhas lá do Brasil, pra minha colega trazer pra ela. Eu sei lá, eu acho que esse é um pedido muito privado. Ainda mais que as duas não têm nem amizade uma com a outra. Minhas calcinhas compro eu. Imagina, a coitada já vai pro Rio com essa incubência, eu vou lá incomodar com os meus pedidos. Que nada!
Eu tenho horror a encomondar. Gente que faz esses pedidos absurdos pra gente quando a gente viaja. Morando aqui a esse tempo todo, as coisas que o povo me pede. Nunca é uma coisa fácil, e nunca é uma coisa barata. Se for fácil não é barato, e se for barato não é fácil. O pior é quando pedem pra comprar, pra pagar quando eu chegar lá, e depois que descobrem o preço, desistem, e lá vou eu ter que devolver a muamba pra loja. Estou aprendendo a dizer não.
Por isso que eu também não peço pra me trazer nada.

Ela perguntou, eu agradeci, e disse que não precisava de nada. Acho legal assim. Sem obrigações. Quando ela voltar, quero que venha com um sorrisão estampado no rosto, um bronzeado daqueles, e me diga que o Rio de Janeiro continua lindo!
Pronto, daí ela vai fazer o meu dia! E estamos conversados.

15 comentários:

leila disse...

É por essas e outras que aprendi a não anunciar para todo mundo que estou prestes a ir pro Brasil, he he he. Uma vez uma me pediu para mandar dinheiro vivo para a irmã de uma conhecida... Levar aquela grana na minha bolsa, maior perigo de ser roubada. Na outra, tive que levar uma TELEVISÃO.

Essa da calcinha também foi forte... Minha irmã uma vez veio para os EUA e a amiga pediu que ela trouxesse camisinhas (condoms) de uma tal marca.

um pouco de mim disse...

Laura,

Nem me fale ... alguns (do Brasil)so lembram que eu existo quando estou prestes a ir para o Brasil...
Ja levei tenis, maquina fotografica, ja levei bone, e dessa vez me pediram tenis e uma bolsa original da Louis Vuitton ... olha so a ousadia !!! Eu colocar U$ 900 dolares numa bolsa ... para tentar receber essa grana no Brasil, sinceramente tem gente que nao se toca mesmo, isso sem contar que eu estou indo para o Natal e talvez eu que paguei minha passagem sem a ajuda de ninguem queira levar na minha bagagem alguns presentes e objetos pessoais ne, mas isso e so um detalhe ...
Eu sou uma pessoa que nao costuma pedir qualquer favor que va dar trabalho para alguem, mas agora aqui nos EUA desenvolvi ainda melhor essa consciencia ... mas tem gente que NAO se manca mesmo ...
E claro que eu quando gosto da pessoa e sei que ela nao e "chupim" ...rs... sempre pergunto se quer alguma coisa ... A proposito...hehehe...oque voce quer do Brasil ??? Pode dizer SEM medo, so nao vou comprar calcinhas ...kakakka

Beijos

Maitê disse...

Laureti, adiciona meu msn novo. Não tive escolha, tive que fazer outro, por causa de umas besteiras: maitemendonca@hotmail.com

Vc é que nem eu. Não quer encher as pessoas, mas tem que explorar. Pedir pra trazer uns guaranás dois litros. Uns salames. hehehe Brincadeira flor. Inté

Andréa Brelaz disse...

Concordo contigo em gênero, nº e grau, pois penso da mesma forma.

Na minha opinião o que vale é a pessoa voltar ao Brasil sendo bem acolhida e se ela quiser/puder ela traz alguma lembrança ou não.

Além de você aí nos EUA, tenho uma amiga na Dinamarca, um amigo em Londres e outro amigo que estava na África do Sul e atualmente está na Austrália, e de vez em quando eles voltam p/ cá e nunca pedi que trouxesse nadinha p/ mim (gosto da espontaneidade e da surpresa de um presente).

Mas sempre existem pessoas ridículas e seus pedidos absurdos/inconvenientes e pior ainda se forem caloteiros no final.

Saudades de ti!

Beijinhos!!! :)

marcia kawabe disse...

Laurinha infelizmente são poucas as pessoas que pensam como você. Eu até não me encomodo de trazer alguma coisa pra alguem como um amigo nosso que infelizmente nunca teve oportunidade de viajar pra fora, então pra ele a gente sempre traz. Mas em compensação tem uma outra que só me pede coisas absurdas. Numa das vezes ela queria que eu fosse até a Canal Street em NY pra comprar uma bolsa FALSA da Tod's! Tenha dó né? do jeito que eu coloquei o dinheiro dela na minha bolsa ele ficou. Nem me dei ao trabalho de fazer isso.

E também achei o cumulo essa de encomendar calcinhas.

Bjs

guilherme disse...

Sou bastante direta e quando viajo já vou logo avisando que não quero me ocupar com encomendas e que nem terei tempo para isso. Mas sempre lembro de presentes. Isto é, se encontrar algo que realmente seja a cara da pessoa.
A única coisa que me prontifico mesmo é em questões de saúde.
Bom fim de semana! Beijus

luma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lia Noronha disse...

Laurinha: deve ser bem difícil viver longe do Brasil...apesar das dificuldades...aqui é a nossa terrinha!!!
Bjus e bom fim de semana pra vc querida.

Ladra do Bem disse...

Têm pessoas que não tem desconfiometro mesmo.
Eu tb não peço nada a ninguém, assim me sinto mais livre pra dizer nao quando é algum pedido exdrúxulo...rssss
Xêro

Jonas Prochownik disse...

Laura, quem faz encomendas nao e amigo. quando se viaja, o tempo e limitado! bjs. do amigo Jonas.

Laura disse...

LEILA, achei essa da televisao o cumulo! Puxa, televisao eh troço que toma muito espaço. O povo nao tem piedade, hein! Mas eu tenho uma que acho que ganha dessa. Ja tive que viajar com um bolo na minha mala de mao. Pois eh, acredite se quiser. A primeira vez que vim pra ca, tive que trazer um diabo de um bolo souza leao que a mae do meu amigo que morava aqui fez a maior forçaçao de barra. Mas eu era novinha, bobinha. Agora nao me pegam mais com uma dessas nao.
Acho que voce esta certa, o lance é não falar que vai viajar mesmo. hehe!
Beijos

Laura disse...

RAQUELZITA, essa de bolsa da Louis Vuitton foi demais tambem. Entao querem que voce compre do seu bolso pra te pagarem quando voce chegar? Nao tem Louis Vuitton no Brasil nao?
Como diz um primo meu, "eu fico incrivel!"

--

MAITE, aqui eu compro essas coisas todas. Guarana agora vende no meu supermercado local. Eu compro toda semana. Quando quero as coisas, minha mae manda pra mim.

Anônimo disse...

Laurinha,

quem não passou por isso né? Eu tenho cada encomenda do arco da velha. Agora estou deixando de ser besta e aprendendo a dizer não. Também não gosto de incomodar ninguém, pedindo pra trazer coisinhas.

Claudia

Anônimo disse...

Laurinha so pedi uma vez uma coisa...para uma pessoa que ir pra Portugal comprar um programa de compatador.. mas a pessoa nao comprou...e achei otimo..porque nunca mais peco nada...mas tenho uam amiga que mora aqui...e a gente traz remedio para nossos filhos do Brasil..quando vou...quando ela vai...uma vez ela me pediu para trazer papal de fazer banderinhas do Brasil..nao achei nada de mais...e porque ai tudo e barato..aqui tudo e caro...melhor mesmo comprar no Braisll...
cilene

Naeno disse...

Eu só pediria uma coisa, a presença de vocês.

Um beijo

Naeno

vou colocar o teu blog como os meus indicados.

Arquivo

   
eXTReMe Tracker