terça-feira, julho 05, 2005

Conte os erros

Ginger é nova na empresa, solteira, bonita. Os rapazes andam de olho nela. Joe foi o mais atrevido, e com um impurraozinho de Linda "vai lá, bobo, convida ela!", ele foi e convidou. Ginger aceitou. (primeiro erro)

Foram para o Happy Hour do Hotel que fica bem de frente pra empresa. (segundo erro)
Meia hora mais tarde, aparece uma turma do trabalho, e acabam todos na mesma mesa. Ginger numa ponta, Joe na outra, separados pela algazarra. Mas a conversa fluiu bem legal, animada, drinquinhos, Joe estava bem contente, se oferecendo pra pagar todas.
Em um determinado ponto foi lá fora fumar um cigarrinho, convidou Ginger pra ir junto. Sugeriu que fossem para um outro lugar pra continuar o papo. Afinal não sabia que aquele povo todo lá do trabalho iria aparecer. Ela achou que era boa ideia.
Foram para o bar vizinho ao hotel.
Pediram um drink, continuaram a conversa. Mas Joe deu uma paquerada de leve na garconete (terceiro erro).
Em um determinado ponto, o assunto girou em torno de animais de estimação. Ginger tem um cachorro e Joe também tem. Joe teve uma idéia: "Vamos lá na sua casa buscar o seu cachorro, e trazer pra minha, pra apresentar ao meu". Essa é nova para mim. Ginger aceitou. Na hora de pagar a conta, Joe disse que não tinha mais grana. Lembrou que tinha pago todas no happy hour do hotel. Ginger pagou a conta. (quarto erro).

Foram na casa dela, pegaram o cachorro, dirigiram pra casa dele. Ficaram lá por umas horas, até que Ginger achou que já estava ficando tarde, e pediu que Joe levasse ela pra casa.
Então Joe perguntou
- Será que tem problema se eu trouxer uma muda de roupa pra dormir na tua casa? Já que você mora pertinho do trabalho, e como está ficando tarde para eu dirigir de volta. (quinto erro)
O que dizer numa hora dessas. Era a primeira vez que os dois saíam juntos, aliás mal se conheciam. Ginger não se sentiu confortável. Falou pra ele que preferia que não.
- Tudo bem - disse ele, mas já foi amarrando a cara. No caminho de volta não se falaram muito. Mas por mais incrível que isto possa paracer, Joe não deixou de perguntar se ela tinha visto a loira gostosa que tinha atravessado a rua. (sexto erro).
- Loira gostosa?! Ahn?! Tá de gozação? - A essa altura Ginger começava a se chutar por ter aceitado aquele convite.
Joe então começou a dizer que estava ficando sem gasolina, e não sabia se iria conseguir voltar pra casa, pois não tinha dinheiro pra botar gasolina.. - ok, fala sério, né?
Ginger disse que emprestaria dinheiro pra ele. Ele não aceitou.

Quando chegaram na porta da casa dela, ele veio com o papo da gasolina novamente. Ginger disse que iria oferecer somente mais aquela vezinha, e depois não iria oferecer mais. Ele disse que tudo bem, ela não precisava se encomodar.
- Será que posso te dar um beijo? - pediu ele. (fala sério, novamente!) Ela disse que podia um no rosto. E pronto, a noite estava coroada. Um verdadeiro programa de índio.

Ginger e Joe trabalham comigo. Conheço os dois. Ginger me contou esta estória pessoalmente. Desde aquela noite que Joe não fala mais com ela. Passa por ela nos corredores de cara amarrada. Ginger já contou esta estória para o mulheriu inteirinho da empresa. Sei que pelo menos dentro da empresa, Joe está queimado.

De experiência própria, acho que namorar/paquerar com colega de trabalho é uma fria. As coisas não dão certo, e a situação fica assim. Mas realmente, Joe não poderia ter comentido mais erros num primeiro encontro do que isso. E além de tudo deixar de falar com ela?
Rapazes, atenção! Querer dormir na casa da moça na primeira noite é o pior deles. E a estória da gasolina foi puro pretexto. Todo mundo sacou as segundas intenções, não? E olhe que eu até achava Joe um cara legal. Agora já vejo ele com olhos diferentes.

Estória verídica!

21 comentários:

pecus disse...

Joe é um cara legal que comete muitos erros.

cilene disse...

A principio achei que vc estava falando do Joey..rs, rs, olha esse cara esta parecendo mesmo e um chato...acho que o tipo que ninguem gosta muito, estou errada????

Andréa N. disse...

O Joe eh um bestao, meu. Como pode isso, paquerar na cara dela, fechar a cara por nada, inventar a desculpa da gasolina, parar de falar no trabalho... Nossa, esse menino tem muito o que aprender!
Mas adorei a estorinha, daria um filminho muito legal!

Beijos.

cristiani disse...

Enquanto lia estava tentando imaginar que poderia ser uma piada...ou uma historia com final trágico....que bom que nao foi a segunda opcao, pq na verdade foi uma piada..de mal gosto hein? Menina..que coisa hein? Este rapaz tava precisando de semancol! hehhee
e coitada de sua colega de trabalho....mas essas coisas acontecem!!!
abracos!

Paula disse...

Laurinha, esse carinha eh figura, hein? Agora diz ai: pelo menos eh bonitinho? Beijao!

Édina Gomes disse...

É no minino... Um pouco cara de pau!! rsrs
Fala sério... Ele se superou nos erros!
Beijinhos...

Leila Couceiro disse...

O cara parecia esperto, depois mostrou jogo de cintura zero, e total desconhecimento da psique feminina. Acredito piamente na veracidade dessa história, até porque uma vez, um cara italiano (amigo do amigo) com quem eu burramente "fiquei" numa boate de salsa em Nova York, me deixou sozinha na rua de noite depois que eu disse que não queria ir pra casa dele. Achei mais seguro andar sozinha de madrugada na rua até o meu hotel do que ir pra casa do tarado.

Megui disse...

Como eu tenho muitos amigos homens, eu entendo o cara mas a única coisa que eu não aceito é parar de falar com a Ginger. Isso eu acho ridículo. Quando isso acontece, eu chego pra pessoa na cara dura e pergunto: não fala mais comigo por que?
Eles sempre ficam muito sem graça.

cilene disse...

Respondendo sua pergunta..espera..e tenho uma pergunta pra vc...estou triste com UOL...tem muitos problemas e tem gente que nem consegue acessar meu blog...entao estou pensando em mudar pro blospot.com.. e bom ou vc tem encontrado alguns problemas?

Daniela disse...

Se vc nao contasse eu ia dizer que inventou essa história. Muito azar(muuuuito azar) dessa sua amiga.

Paula disse...

Alias, Dani, se eu nao visse o que tava rolando no "Arte" da Ana Lucia com meus proprios olhos, eu ia escrever a mesma coisa que voc escreveu pra Laurinha ai em cima...alias, meninas, eh impressao minha ou os meninos andam todos com probleminhas?

Laura disse...

>>Paula - voce perguntou se ele eh bonito. Digamos que ele eh average. Nem muito lindo, mas tambem nao feio de doer. Nao faz muito o meu tipo, nao, mas voce sabe que gosto eh uma coisa muito pessoal.

>>Leila - Ah, os sapos que temos que beijar antes de encontrarmos o prince charming! Eu sei exatamente o que voce esta dizendo. Ja passei por cada uma tambem. Quando a minha amiga Ginger me contou essa, eu fiquei pensando ca com os meus botoes "Thank God I'm married, and no longer have to go on dates"

>>Megui - Exatamente! Deixar de falar com ela foi o cumulo!

>> Daniela - muito azar mesmo! Fiquei com pena dela.

Ah, gente, e hoje de manha o mulheriu por aqui estava comentando e ja fiquei sabendo que Joe contou uma estoria completamente diferente (da versao de Ginger) para uns amigos dele. Na versao dele, ele decidiu que nao haveria um segundo encontrou porque nao achou ela muito interessante.
AHAH! Me poupe, hein!
Ta vendo so como as fofocas rolam? Por isso que nao recomendo namoro no escritorio. Apesar de ja ter cometido o mesmo erro no passado.

Leila Couceiro disse...

He he he Laura, sem dúvida. Aquelas histórias de Sex & the City são pinto perto do que eu e minhas amigas vivemos no tempo de solteira. Aliás, achei completamente irreal o final com o Mr. Big; na vida real, eles jamais teriam acabado juntos. O melhor namorado da Carrie, pra mim, era aquele interpretado pelo John Corbett, do Casamento Grego.

Gabi disse...

Putz que cara tosco, e ainda por cima sai contando vantagem... tsc tsc tsc! Ridículo!!!
Poxa bem que eu tava sentindo sua falta... hahahahahahaha!! Agora to um pouco mais animada com o blog, postando com mais frequencia, vamos ver até onde vai!!! Beijão

Fernando disse...

Laura, depois me conta o que vc achou do resto do End of the Century. Se eu não fosse fã dos Ramones acho que eu teria gostado mesmo assim. Mas como sou fã de carteirinha sou meio suspeito pra falar. :)

[]s

Karenin disse...

Pois eu concordo, não se molha a caneta na tinta da empresa. Ditado velho, velho, velho. E eu já vou ensinar pro menino aqui! :o)

Paula disse...

Laura, falando em average, voc esta vendo o "Average Joe" na TV? hahaha...a cena em que os nerds encontram face to face os portadores de barriga tanquinho foi hilaria...
Karenin, na minha terra se diz que onde a gente tira o pao, nao come a carne. Agora, Laura esse seu colega de trabalho eh figurinha, hein? E Ginger como anda encarando essas fofocas? Alias, diz pra Ginger dar um desconto pro ego do moco...Beijao!

Zilá disse...

Esse Joe é um mala. Que cara bostão. Que bobeira, paquerar outras na frente da moça, insistir para dormirem juntos. Como ele, o mundo tá cheio. Encontrar um cara legal é agulha no palheiro.
Já aconteceu comigo de sair com rapazes do trabalho e não é legal mesmo, porque a fofoca é geral. Certa vez, uma paixão aconteceu, ambas as partes e as garotas que também queriam o cara, começaram a comentar maldosamente. Sorte minha que arrumei outro emprego melhor logo em seguida.
Agora, ela contou pra todo mundo o que ele fez. Nem podia!

Laura disse...

O mundo está cheio de gente assim, aos montes.

Luisandro disse...

sem comentários, que mané, mais imbecível impossivel, nem quando eu tinha 19 anos eu fazia dessas. bjao

christiana disse...

Caraca, que história... pior que tem cara que é assim mesmo: manda mal e depois, ao invés de se desculpar, ainda emburra pra sempre. Bom, antes assim, ver logo qual é de primeira e cortar, do que se iludir por mais tempo e acabar se apaixonando pelo sujeito. Que atire a pimeira pedra quem nunca levou pra casa, pelo menos uma vez, um mané pior que esse (ou foi pra casa dele), achando que era o príncipe encantado.
Adorei seu blog, beijos.

Arquivo

   
eXTReMe Tracker