terça-feira, setembro 20, 2005

I moved my cheese!

Alguém conhece o livro Who moved my cheese? Dizem que é muito usado por Empresas Americanas, que fizeram do livro leitura recomendada para os seus funcionários.
Vai mais ou menos assim - Existe um labirinto que simboliza a vida. E dois ratinhos com vidas simples, mentalidade simples, necessidades simples. Também há dois humanos, com mentes mais complexas e maiores necessidades, claro.
Todas as manhãs os ratinhos e as pessoas vão ao labirinto procurar por "Queijo". "Queijo nesta estória é uma metáfora do que você quer na vida - um bom emprego, um relacionamento de sucesso, saúde, paz de espírito." (Book jacket)
Todos os 4 personágens desta estória encontram o queijo sempre no mesmo lugar. Aí, gradualmente os ratinhos sentem que algo está mudando. O queijo não é mais o mesmo. A qualidade é inferior, a quantidade é menor. Os humanos nada notam. Eles continuam indo lá todas as manhãs esperando encontrar o queijo sempre no mesmo lugar. Afinal de contas, o queijo é deles e eles têm direito ao queijo, certo?
Um certo dia, o queijo acaba! Os ratinhos notam as mudanças, então eles vão ao labirinto a procura de queijo novo. Os humanos não sabem o que fazer. O queijo sumiu! Alguém roubou seu queijo! Ao invéz de adaptarem-se as mudanças, eles simplesmente ficam lá chorando pitangas. Enquanto isso, os ratinhos já partiram pra outra e estão vivendo a vida, com queijo novo!
A moral desta estória é que todos reajem as mudanças de maneiras diferentes. Existem os que se adaptam rapidamente, e os que se prejudicam por não enxergarem as mudanças. Existem os que partem para a luta, para mudar sua própria sorte, e os que ficam ali, culpando todo mundo, sem nada fazer!

Esta semana estou fazendo uma coisa que não fazia a quase 8 anos. Estou mudando de emprego!
Depois de tantos anos trabalhando numa mesma Empresa, resolvi arriscar e ver o que tem lá fora pra mim.
Eu sou do tipo que me acomodo fácil num lugar. Trocar de emprego pode ser uma coisa traumática. Lá vamos nós outra vez nos familiarizarmos com o lugar, os colegas de trabalho, as regras, aquelas que estão no papel, e aquelas que não são tão visíveis. Mas tem vezes que é necessário mudar para continuar crescendo.
Não adianta ficar reclamando que não tem oportunidades de crescer, que não tem condições de ganhar mais, que a política do lugar é ridícula, etc. E continuar lá.
Com 7 anos e meio no ramo aonde trabalho, aprendi bastante, ganhei muita experiência, cresci profissionalmente. Aí cheguei num ponto aonde agora eu quero mais. E se o lugar não me dar mais, então o negócio é partir pra outra.
A minha empresa é privada, o dono é Italiano. Tem um tal de um nepotismo lá dentro do qual nunca fui fã. O homem emprega os irmãos, os sobrinhos, os primos... Este é o primeiro problema.
Daí tem os cortes nos gastos. Ultimamente nem água nós tínhamos mais. Se quiséssemos bebermos água, tínhamos que trazer de casa, ou comprar as garrafinhas nas vending machines da cafeteria. Imagine só!
O pior pra mim foi quando comecei a atinar para os preconceitos. Eu, sendo mulher, brasileira (o que aqui me torna parte da minority), casada com filho pequeno.. comecei a notar que pra mim nunca vinham as oportunidades de crescimento, os cargos de mais responsabilidades, o salário maior. O fim da picada foi quando deram uma promoção a este mocinho que mal chegou lá, novinho, saído das fraldas, amiguinho do sobrinho do dono (que também trabalha lá), a minha promoção, aquela que eu estava de olho. E olhe que eu falo promoção, mas eles me colocaram por uma maratona de entrevistas, etc, como já não conhecessem o meu desempenho. O fedelhinho que mal chegou, ouvi uma conversa dele no telefone com outra pessoa (ele sentava pertinho de mim, então foi impossível não ouvir), dizendo que tinham dado pra ele a oportunidade. Que o chefão lá de cima, pessoalmente tinha ligado pra ele pra oferecer. Por que? Porque quem tem Q.I (de Quem Indique) pode tudo!
No mesmo dia, coloquei o meu currículo no mercado de trabalho. E digo sem me sentir metida, que choveu propostas. Porque o meu currículo é bom mesmo!
Então pulei fora, estou partindo pra outra. Melhor salário, melhor benefícios, um cargo de mais responsabilidade. Agora é comigo! Eu tenho que provar que posso, que sou boa mesmo, que tenho condições. E é assim que eu gosto, cada um fazendo a sua parte, colhendo os frutos que merece.
Antes de sair de lá, HR (Recursos Humanos) me chamou para uma tal de -entrevista de saída- pra saber os meus motivos de pedir demissão. Mandei ver! Contei tudo! O bode deve ter rolando por lá. Uma colega já me ligou pra me contar as fofocagens. Mas como o meu marido gosta de dizer, a melhor vingança é o sucesso!

Who moved my cheese? I did!

Nenhum comentário:

Arquivo

   
eXTReMe Tracker