quarta-feira, agosto 15, 2007

Eu falo com sotaque, sim senhor

Americano tem essa mania infeliz de achar graça em sotaque estrangeiro. De vez em quando me aparece um que acha ok rir na minha cara de uma palavra qualquer que eu falei porque aquela palavra não soa aos ouvidos dele como inglês perfeito. E porque são eles os americanos e não eu, se acham no direito de criticar.

Nem que sejam meus amigos e que não estejam fazendo com más intenções, eu não gosto. Não gosto que achem graça nem que seja com a desculpa de que acham bonitinho. Existe uma linha fininha que separa isso da falta de respeito.

Não riam na minha cara porque o som do meu TH de vez em quando não sai exatamente por entre os dentes.
Não comentem que o meu M as vezes sai com um som de N, ou o meu L pode sair com um som de U.
Eu falo com sotaque porque eu não sou americana. E eu tenho orgulho do meu sotaque. É parte da minha personalidade, das minhas raizes. Eu nao nasci aqui.

Acho as vezes até irônico que um povo que não goste muito de aprender outras línguas, ou sobre outras culturas, ache graça no meu sotaque. Eu sou bilingue. E aprender e dominar uma língua estrangeira não é nada fácil.
As mesmas pessoas que acham graça do meu sotaque, também são aquelas que se referem à música The Girl of Ipanema, como The Girl of Ipanima. Ou não conseguem, por mais que se esforcem a dizer São Paulo, com aquele som nasal que o AO faz. E eu não ando por aí consertando ninguém porque eu entendo que português não é a língua deles.
Do meu marido eu até escuto, se bem que quando ele vem dar uma de me consertar, eu mando ele falar a palavra mágica OTORRINOLARINGOLOGISTA primeiro.

Porque o meu inglês tem 31 anos de prática e anda muito bem, obrigada, mas eu falo com sotaque sim, e estamos conversados.

25 comentários:

Jôka P. disse...

Já conheci brasileiro(a)s que moram fora do Brasil e que falam português com sotaque, como se fossem estrangeiros.
Você já viu isso ?
Brasileiro falando que nem gringo ? Assim... enrolando a língua e simulando dificuldade com a própria pronúncia, Laurinha ?
Acho o fim da picada, super cafona, uma pobreza.

BJôkas

Andréa N. disse...

Mandaste muito bem. Se bem que eu aqui nao sofro com isso porque em Nova York TODO MUNDO eh de fora e os sotaques sao variadissimos. Eu e o marido brincamos em casa de imitar os varios sotaques de nacoes diferentes, porque adoramos sotaque (e nao porque queremos tirar sarro da cara dos outros).

Marcos Falcão disse...

Post fantástico, como diria a minha amiga Tina Turner "Simply the best"...

Megui disse...

olha Laurinha,
Nao sei mas no Brasil vi coisa bem pior. Uma galera rindo na cara mesmo. Aqui geralmente eles respeitam bem mas quando zoam, faco questao de mostrar se estou ok ou nao com isso.

Mariposo-L disse...

OTORRINOLARINGOLOGISTA , nossa essa foi sacanagem, Laurinha ... que maldade ..kkk

um abração

cilene disse...

Dizer o que Laurinha..nunca vou aprender noruegues. Imagine falar sem sotaque

Laura disse...

JOKA, eu ate entendo um pouquinho desse lance de acabar falando com sotaque. Quando a gente mora muito tempo fora do pais como eu, por exemplo, a gente comeca a assimilar a cultura. Ingles ja eh parte normal da minha vida, eu penso em ingles, eu falo ingles comigo mesma. Portugues infelizmente passa a ser uma lingua secundaria. Tem vezes que eu esqueco das palavras em portugues, ja aconteceu de eu estar no meio de uma conversa entre americano e brasileiro, numa conversa rapida, traduzindo feito uma doida, e eu terminar trocando tudo e traduzindo em portugues pra americano e em ingles pros brasileiros, e nem me dar conta.
Apesar de eu achar que ainda tenho um forte sotaque nordestino, tem gente que me diz que o meu sotaque agora eh um pouquinho diferente. Sei la, acho que depois de anos, a gente vai mudando sim.
Agora tem muito brasileiro por ai, que se muda pra fora do pais, e fica de sacanagem, dando uma de gringo, sim. Eu acho a maior breguice gente que se comporta assim.

Anônimo disse...

Falou e disse.. Laurinha..rs
Vixe eu nem ligo mais viu, acho q nunca irei perder meu sotaque.. de quase 4 anos.. lembro de uma vez q falei pro meu marido alguma coisa relacionado a HEAD, mas ele entendeu RED, ele lembra ate hj.. acho engracado. E ai se anima de ir no Brazilian day?? rs.. bjs..Pry

Laura disse...

MEGUI, brasileiro tira onda tambem sim. E eu tambem nao gosto nao, e agora eu digo na cara que nao gosto mesmo. Com educacao, sem grosseria, mas digo.

-
PRY, esse Brazilian Day eh em NY? Nao tem condicoes pra ir nao. Mas se tivesse, eu ia. Voce vai?

Sonho Meu disse...

Por aqui, filhos marido falam perfeito ingles. Eu sou a unica que tem um jeito muito engraçado de falar ingles. Normalmente me comunico com todos em portugues e quando quero fazer palhaçada, começo a falar ingles e aí todos riem a valare...porque meu ingles é super diferente...falo com sotaque e nao me incomodo nao que riem. Acho que sou a unica pessoa que sorrir de mim mesma.
bjos,
me

Camila disse...

Oi Laurinha!! Nao sumi daqui nao, so tenho andado caladinha. Ultimamente so tem dado pra ler blogs de manha, enquanto tomo cafe, entao so tenho lido... Mas tenho acompanhado seu blog sim...
Esse lance de sotaque me incomoda tb. Ainda existem palavras que eu nao sei a pronuncia correta, e quando alguem ri da minha cara eu pergunto logo "e qual e a segunda lingua que voce fala sem sotaque mesmo?"... E um saco isso ne??
Beijocas e bom finde!!

leila disse...

Eu acho que rir de sotaque não é defeito apenas do americano; os brasileiros debocham dos sotaques de estrangeiros, e também debocham dos sotaques de brasileiros de outros estados. Por exemplo, quando eu morei em São Paulo, toda hora debochavam do meu sotaque carioca. Da mesma forma, cariocas também fazem gozação de outras pessoas com sotaque carregado (português é um exemplo). Uma amiga minha de escola era do interior de SP (Bauru), e a coitada não podia ler em voz alta que todo mundo ria quando ela enrolava os "erres".

Enfim, o ser humano costuma mesmo estranhar sotaques diferentes. A diferença entre uma pessoa bem educada e respeitadora é que vale.

Marcia disse...

Laurinha adorei a palavra mágica hehehe. Nem eu consigo pronunciar ela.

Beijos

Ana Lucia disse...

Como disse a Leila esse é um mal generalizado, principalmente vendo de gente que nao estuda linguas e tipica de um comportamento que quer marcar "você nao é daqui, nao é igual a nosotros"...

Mas pior que isso é ver PROFESSOR de literatura com cara de latino-americano explicita e que ensina em universidade americana, dizer que fala inglês "sem sotaque" ha ha ha. Sem sotaque dadonde ? jah que o inglês americano, é diferente do jamaicano, do nigeriano, do cara da Nova Zelândia, da Australia, da Inglaterra.

Beijocas

Blogue da Magui disse...

Vim conhecer o seu blogue porque Cilene indicou pelo texto sobre Elvis.Realmente muito bom , bem escrito.Eu só não concordo quando vc diz que o únio amor do Elvis foi a Priscilla porque ele mesmo não gostava de cantar determinadas músicas, logo que separaram,para ela não pensar que era para ela.Essa tese é difundida por ela mesma que se locupleta até hoje do nome dele.Eu acho que deve ser respeitada porque conduz bem o patrimônio Elvis mas é só.A coisa é longa, dá páginas.Adorei mesmo foi saber que tem uma rádio que toca Elvis o dia inteiro.Pensar que os fãs do Brasil ficam trocando CDs pelo correio porque não encontram para comprar.Eu poderia ter alguém conhecido para gravar tudo para mim.Qt ao texto do sotaque, eu nem me preocupo porque só falo as línguas pela metade.Realmente o TH para nós é difícil porque no protuguês este som não existe .Eu acho que quem fala espanhol consegue fazer melhor.O ideal é falar uma língua sem sotaque.Eu tenho uma conhecida que atualemnte mora em Miami que fala sem sotaque algum inclusive quando está na Inglaterra ou Escócia consegue falar com o sotaque de lá mas é um dom que ela tem.Elvis nunca perdeu o sotaque sulista mesmo esforçando-se.Eu pensei em aproveitar o seu texto e pedir licença para publciar no meu Flickr ms só se vc permitir tirar o pedaço sobre a Priscilla porque, como disse, considero informação incorreta.Pode ser? Paraabéns pelo blogue e pelo espírito empreeendedor.

Laura disse...

MAGUI, o Elvis teve muitas mulheres, traiu a mulher muitas e muitas vezes, brigaram muito, terminaram se separando. Mas foi a Priscilla quem se divorciou dele. Por ele teria continuado casado com ela ate a morte. Depois do divorcio, ele continuou a ter muitas namoradas, se nao me engano morreu noivo de uma. Mas amar mesmo de verdade, ele so amou a Priscilla.
Nao me importo que publique o texto nao, alias eh um prazer. Depois eu volto la no seu blog com mais calma pra ler direitinho.
Seja bem vinda!

Tom, um ser diferente... disse...

Laurinha,
ADORO seu sotaque! Acho que é sua marca, faz parte de sua personalidade e você, sem ele, não seria a mesma Laura que eu conheço!
Se te chatearem, deixe claro que não gostou. Respeito é bom, e todo mundo gosta!
O povo aqui também tem essa mania de falar sobre o meu sotaque! Eu ignoro, porque se eu for imitar o sotaque do goianos que tem aqui, tu não ia se aguentar de tanto rir!
Beijo, beijo, beijo!
Tom

Maitê disse...

Nem me fale, que hoje um guri disse que eu falo muito com sotaque. Fiquei triste, pois eu sou muito encucada e não tão bem resolvida como vc, grande Laurinha...

Bjos

Laura disse...

MAITE, nao sei se eu sou bem resolvida. Eu fico puta quando fazem gozacao na minha cara. E aqui nos Estados Unidos, o povo acha essas gracinhas no sotaque de estrageiro da gente com uma pitadinha de preconceito, sabe? Em alguns casos, com uma pitadona! Antes eu ficava sem graca, agora eu digo na cara mesmo que nao gosto.
Quanto ao meu sotaque de nordestina la do Recife. Eu adoro o meu sotaque, tenho o maior orgulho dele! Tenho saudades das girias tambem, que so outro pernambucano entende.

luma disse...

Eu tenho amigos estrangeiros que moram no Brasil a bastante tempo e mesmo assim eles têm sotaque. Não somente sotaque no português como em outras línguas.
Eu acho "bonitinho" mas de vez em quando escuto uns escorregões que é bom falar, para eles não passarem vergonha com pessoas estranhas.
Boa semana! Beijus

Marshall disse...

Apoio vc nessa!
e se alguem te encher, mande falar "qualquer", sempre funciona! hahaha

bjs

Cynthia Zanon disse...

É de doer quando fazem isso né?! Me dá nos nervos também...mas agora aprendi...não é questão de baixar ao mesmo nível deles, mas se estão sendo rudes com a intenção de mostrar que temos sotaque e não somos do mesmo nível deles(mas inferior), respondo da forma que vc pensa...dizendo que "pelo menos sou bilíngue, e falo duas linguas...vc também?!". No fim, quem sai por cima sou eu. Pq se for reparar, uns 80% das pessoas que fazem isso SÓ falam o inglês. Poor people :)
Bjs,

Daniela disse...

Laurinha, eu sou professora de idiomas e uma pessoa perfeccionista. Entao imagine só como eu tenho implicancia com isso de falar idioma estrangeiro com sotaque...rs.

Eu sei que cada pessoa tem um objetivo ao aprender uma língua e isso tem que ser plenamente respeitado. No meu caso específico quero falar com a fluência de um nativo, a correçao de um acadêmico e com o mínimo sotaque que puder. Soa hiper feio pra mim quem fala tierra como se fosse tchiérra por exemplo. Ui. Dói no ouvido mesmo. E pego MUITO no pé dos meus alunos :)

Mas sei que o post nao era sobre isso. Só quis defender o meu lado de quem deseja falar com o minimo de sotaque e acha que é bem possível...rss

Tinha um amigo paraguaio em Madrid que dizia que meu espanhol é nativo, mas de um país que nao existe....risos.Adoro.

Beijos e beijos. E adorei o post.

Tom, um ser diferente... disse...

Ei muié!
Tá viva?
Beijos...

Tom, um ser diferente... disse...

Laurinha,
Pelo jeito, os americanos nunca ouviram falar na Princesa Isabel, não é? KKkkkKK...
Obrigado pelo carinho! Quando nós formos te visitar, faremos um sushi aí na sua casa! Prometo!
Beijos.

Arquivo

   
eXTReMe Tracker